» » » Policia e MPF investigam suspeito de Discriminação Religiosa

Perfil do Suspeito de Crime de Discriminação Religiosa Pela Internet


A delegacia de Crimes Virtuais e o Ministério Público Federal investiga homem que tem espalhado ofensas e injúrias contra pessoas por causa da religião.

O perfil que já teve o nome alterado, aparece atualmente como sendo de Marcos Carlos De Oliveira, da cidade de Vargem Alegre.

Outro Perfil usado para crimes virtuais


Marcos que se identifica como "profeta" tem acessado diversos perfis com postagens de outras religiões e colocado ofensas. Ao ser bloqueado o mesmo tem criado outros perfis a fim de continuar com as ofensas. Pelo menos 15 pessoas já o denunciaram.

Segundo o Ministério Publico Federal, o acusado já foi identificado e localizado pela policia.

Em um dos comentários no perfil das pessoas que ele persegue, Marcos Carlos de Oliveira se declara ex-traficante e diz que se for preso voltará para o tráfico.




Conforme informações do portal Diário de Caratinga, Marcos foi detido por suspeita de ligação com o tráfico de drogas

Segundo a promotora Mayara Duarte "Há casos em que, o “ser intolerante” se acha no “direito” de desmoralizar pessoas e símbolos religiosos de outras denominações, chegando até à agressão física, perseguição e outros tipos de fanatismos, que não devem ser aceitos em uma sociedade que busca a evolução, fraternidade e igualdade de direitos."

Vale ressaltar que, intolerância religiosa que recai em discriminação, tipifica crime. A Lei 9.459, de 1997, considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões. Ninguém pode ser discriminado em razão de credo religioso. O CRIME de discriminação religiosa é INAFIANÇÁVEL – o acusado não pode pagar fiança para responder em liberdade - e IMPRESCRITÍVEL, ou seja, o acusado pode ser PUNIDO a QUALQUER TEMPO.

A pena prevista para este crime é de: reclusão por um a três anos e multa.


O acusado de Crimes de injúria e discriminação religiosa se auto intitula profeta


Conforme o Delegado Almir Sotero, "algumas pessoas caem na ilusão que poderão se esconder atrás de perfis falsos nas redes sociais. Hoje a policia localiza facilmente os donos de perfis que são usados para cometer crimes online, como aconteceu nas últimas eleições no Brasil".

 Segundo a Secretaria de Direitos Humanos, as denúncias pelo canal “Disque 100”, em razão de crimes de discriminação às crenças religiosas, cresceram mais de 600%, constatando a urgência de uma mudança de postura e mentalidade por parte de alguns.


Intolerância religiosa é crime. Denuncie.



Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

8 comentários:

  1. Qual a diferença entre traficante e evangélico? Ele trocuo seis por meia duzia, continua sendo bandido

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que ele vai voltar para a cadeia, ele é muito perigoso, me ameaçou

    ResponderExcluir
  3. Lugar de bandido é na cadeia, Bolsonaro vem aí pra colocar esses merdas em seu devido lugar

    ResponderExcluir
  4. Ele me assediou em um grupo no facebook

    ResponderExcluir
  5. Uma pessoa assim não pode ficar solta, cadeia nele

    ResponderExcluir
  6. Proprio dos baão pra cadeia, viram evangelicos, continuam praticando crimes e se escondendo atras de uma bíblia. Nenhum bandido que se diz evangelico é sincero, todos continuam na bandidagem

    ResponderExcluir
  7. Só mudou a forma de roubar, continua sendo bandido do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  8. Também fui vítima desse desequilibrado

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Tenha Seu Programa em Nossa Rádio

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página