» » » 'Cine Padroeira' conta em cinco telas história de Aparecida

Cinema reproduz filme sobre história de Nossa Senhora Aparecida (Foto: Filipe Rodrigues/G1)


O Santuário Nacional de Aparecida lança neste sábado (8) o 'Cine Padroeira', um cinema estilizado que utiliza cinco telas para transmitir um curta de 15 minutos sobre a história de Nossa Senhora Aparecida. O G1 assistiu a uma sessão do filme que tem como proposta fazer com que o espectador se sinta dentro da cena.

A experiência começa nos assentos para o público. Eles são de madeira para que o espectador se sinta em uma canoa, como a utilizada pelos pescadores que encontraram a Santa no Rio Paraíba do Sul em 1.717. As paredes simulam a vegetação próxima ao rio.

Quando o filme começa é possível notar o efeito das cinco telas em ação. Há um telão central, onde o tema do filme é reproduzido. As telas laterais servem para mostrar detalhes. Quando há diálogos, por exemplo, a tela central mostra o local de forma ampla. As telas da esquerda e direita mostram detalhes do rosto dos interlocutores. Uma quarta tela fica na parte inferior da cena para dar proximidade ao espectador.

Mas e a quinta tela? A principal função dela é dar a sensação de 3D sem a necessidade dos óculos. O tule, como é chamado, ocupa todos os 18 metros de largura e fica à frente das demais telas. Por isso, quando é acionado, como em cenas de chuva, dá a impressão de cinema em três dimensões.

"O tule te dá uma sensação de malografia. É um trabalho de mapeamento de projetores. Foram utilizados 10 projetores, divididos em cinco telas. Existe tecnologia similar. Em Nazaré, há quatro salas nesse formato, mas eles utilizam a tela com fotos. Essa deve ser a primeira sala em que foi produzido um filme para esse tipo de tela", diz Alfonso Aurin, responsável técnico pelo filme.

O enredo do filme é sobre a história de Nossa Senhora Aparecida desde seu encontro até a criação do Santuário Nacional em Aparecida passando por seus milagres como a cura de uma menina cega e a libertação do escravo Zacarias. Todas as interpretações são feitas por atores. Para poder usar as aproximações, as cenas foram gravadas pelo menos três vezes.

"O projeto começou ao contrário. O Santuário queria fazer o cinema. A sala foi planejada com toda a parte de espectadores e sobrou essa tela, totalmente fora do padrão do cinema convencional. Além disso, tinha que exibir imagem em todas as telas, algo que nunca tinha sido feito no mundo. Tivemos que inovar formatos para chegar com o resultado.Tínhamos que filmar uma vez para a tela central, outra para a tela central direita, outra para a tela esquerda. É um filme de 15 minutos, que na verdade tem 45, porque tudo foi feito três vezes", disse Del Rangel, diretor do filme.

O filme foi gravado para ser exibido em qualidade 4K. Ao final do curta, a canção 'Romaria', de Renato Teixeira, hino dos romeiros, é a trilha. A sala tem capacidade para 150 pessoas. O filme tem sessões a cada 30 minutos no Museu de Cera. O valor do ingresso é R$ 12 (meia) e R$ 24 (inteira).



Fonte: Portal G1



Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe Seu Comentário

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Anti Drogas

Vídeo Previsão do Tempo

Recados

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página