» » » » » São Geraldo Majela

Filho da modesta e pobre família do alfaiate Majela, Geraldo nasceu no dia 6 de abril de 1725, numa pequena cidade chamada Muro Lucano, no sul da Itália. De constituição física muito frágil, cresceu sempre adoentado, aprendendo o ofício com seu querido pai.

Aos quatorze anos de idade ficou órfão de pai e, com a aprovação da mãe, Benedita, quis tornar-se um frade capuchinho. Mas foi recusado por ter pouca resistência física. Entretanto o jovem Geraldo Majela não era de desistir das coisas facilmente. Arrimo de família, foi trabalhar numa alfaiataria da cidade. Mais tarde, colocou-se a serviço do bispo de Lacedônia, conhecido pelos modos rudes e severos, suportando aquele serviço por vários anos, até a morte do bispo.

A forte vocação religiosa sempre teve de ser sufocada, porque não o aceitavam. Com dezenove anos de idade, voltou para Muro Lucano, onde montou uma alfaiataria. Recebia um bom dinheiro. Dava tudo de necessário para sua mãe e suas irmãs, com o restante ajudava os pobres. Na cidade todos sabiam que Geraldo dava o dote necessário às moças pobres que desejavam ingressar na vida religiosa. E se preciso, conseguia a vaga de noviça.

Só em 1749, quando uma missão de padres redentoristas esteve em Muro Lucano, Geraldo conseguiu ingressar na vida religiosa. Tanto importunou o superior, padre Cafaro, que este acabou cedendo e o enviou para o convento de Deliceto, em Foggia.

Enquanto era postulante, passou por muitas tentações e aflições, mas resistiu e venceu todos os obstáculos. Professou os primeiros votos, aos vinte e seis anos de idade, naquele convento. E surpreendeu a todos com seu excelente trabalho de apostolado, simples, humilde, obediente, de oração e penitência. Chegou a ser encarregado das obras da nova Casa de Caposele; depois, como escultor, começou a fazer crucifixos. Possuindo os dons da cura e do conselho, converteu inúmeras pessoas, sendo muito querido no convento e na cidade.

Mas mesmo assim viu-se envolvido num escândalo provocado por uma jovem que ele ajudara. Foi em 1754, quando Néria Caggiano, não se adaptando à vida religiosa, voltou para casa. Para explicar sua atitude, espalhou mentiras e calúnias. Para isso escreveu uma carta ao superior, na época o próprio fundador, santo Afonso, acusando Geraldo de pecados de impureza com uma outra jovem.

Chamado para defender-se, Geraldo preferiu manter o silêncio. O castigo foi ficar sem receber a santa comunhão e sem ter contato com outras pessoas de fora do convento. Ele sofreu muito. Somente depois que a calúnia foi desmentida pela própria Néria, em uma outra carta, é que Geraldo pôde voltar a receber a eucaristia e a trabalhar com o afinco de sempre na defesa da fé e na assistência aos pobres. O povo só o chamava de "pai dos pobres".

Mas a fama de sua santidade, curiosamente, vinha das jovens mães. É que as socorridas por ele durante as aflições do parto contavam, depois, que só tinham conseguido sobreviver graças às orações que ele rezava junto delas, tendo o filho nascido sadio.

De saúde sempre frágil, Geraldo Majela morreu no dia 16 de outubro de 1755, no Convento de Caposele, com vinte e nove anos de idade. Após a sua morte, começaram a ser relatados milagres atribuídos à sua intercessão, especialmente em partos difíceis. Em 1893, ele foi beatificado, sendo declarado o padroeiro dos partos felizes. Em 1904, o papa Pio X canonizou-o e sua festa litúrgica ocorre no dia de sua morte.




Oração a São Geraldo Magela

Agradeço á divina Providência, ó São Geraldo, não somente elevar-te às alturas da Santidade, mas ainda fazer-te experimentar a realidade da vida humana. Sabes quão árdua pode ser a luta pela vida. Conheces perfeitamente todos os fatores sociais, bem como conheces as dificuldades em se trabalhar para viver, principalmente onde falta a verdadeira caridade e a justiça cristã. Como vós, não quero pedir a Deus que me faça rico, mas que possa ter o suficiente, de tal maneira que os cuidados temporais não venham perturbar a mim mesmo e àminha família. São Geraldo, a tantos já atendeste e, livres de maiores cuidados, entregaram-se mais tranqüilos a serviço de Deus. Toca o coração dos que devem repartir, para que efetivamente o façam. Triunfem os principios de caridade para com o próximo, e os de justiça, a fim de que não seja cobiçada a norma dos patrões e dos operá rios. Recomendo-vos também o trabalho que tenho para executar, para fazê-lo conscientemente, em espírito de solidariedade e partilha. Auxilia-me a usar bem o tempo livre de que disponho, para maior Glória de Deus, salvacão de minha vida e bem-estar de minha familia.

Para as parturientes, acrescentar:

Proteja-me e ampara-me neste trabalho especial de dar à luz um filho de Deus, para juntos louvarmos ao Senhor e agradecer a ti pela intercessão. Bemaventurado São Geraldo Majela, proteja meu parto!



Fonte: Portal Paulinas

Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

1 comentários:

  1. G.E.N. = Oh! Bendito! Sempre! Santo São Geraldo Magela! Sempre! Salve (Viva, Ave)! Sempre! Agradecimentos (Agradecido), Gratidões (Grato), Graças (Felizmente), Eterna, Infinitamente, por tudo de: bom (bem, ótimo, excelente), e cada vez mais, a mim! Sempre! Peço-Vos, que eu tenha (boas, ótimas, excelentes): Paz, Saúdes, Proteções: demais, por tempo demais, a mim! Sempre! Assim Se Faça! Assim Seja! Amém!...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Anti Drogas

Vídeo Previsão do Tempo

Recados

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página