» » » » Papa Francisco abençoa sudanesa condenada à morte por deixar o Islã

O Papa Francisco abençoa a sudanesa Meriam Yahya Ibrahim, que foi condenada à morte no Sudão por se converter do Islã ao Cristianismo, com o filho no colo em reunião privada no Vaticano (Foto: Reuters/Osservatore Romano)


O Papa Francisco abençoou nesta quinta-feira (24) a sudanesa Meriam Yahya Ibrahim, que foi condenada à morte no Sudão por ter abandonado o Islã e se convertido ao cristianismo. Meriam chegou à Itália nesta manhã, em um avião do governo italiano.

Meriam, o marido e os dois filhos foram recebidos pelo papa Francisco em um encontro privado, no Vaticano. "O papa a agradeceu por seu testemunho de fé", disse o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

A sentença contra Meriam, que na época estava grávida e deu à luz na prisão, gerou críticas internacionais que levara a sua soltura e ao cancelamento da pena. Posteriormente, ela voltou a ser detida ao tentar deixar o Sudão.

Não foram divulgados detalhes sobre sua ida à Itália, mas um oficial sudanês afirmou que ela foi liberada pelo governo. “As autoridades não a impediram de partir já que era sabido e foi aprovado com antecedência”, disse a autoridade à Reuters.

Meriam foi acompanhada no avião pelo vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Lapo Pistelli. Ele disse a jornalistas no aeroporto de Ciampino, em Roma, que o país esteve em “constante diálogo” com o Sudão sobre o assunto, mas não deu mais detalhes.

A sudanesa foi para a Itália acompanhada de seus dois filhos.

Antes de deixar o Sudão, Meriam se refugiou na representação diplomática americana depois ter sido detida após sua libertação, quando tentava deixar o país, acusada de usar documentos falsos.

A sudanesa Meriam Yahya Ibrahim desembarca de avião do governo italiano em Roma nesta quinta-feira (24), acompanhada de seus dois filhos e do vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Lapo Pistelli (Foto: Remo Casilli/Reuters)
A sudanesa Meriam Yahya Ibrahim desembarca de avião do governo italiano em Roma nesta quinta-feira (24), acompanhada de seus dois filhos e do vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Lapo Pistelli (Foto: Remo Casilli/Reuters)


A justiça sudanesa a havia condenado à pena de morte por infidelidade ao Islã, em virtude da interpretação sudanesa da sharia (lei islâmica) vigente no país desde 1983, que proíbe as conversões para outras religiões.
Seu marido, Daniel Wani, conta com a dupla nacionalidade americana e sul-sudanesa.

Mariam diz ter nascido cristã e criada como cristã por uma família etíope no Sudão, e mais tarde sequestrada por uma família muçulmana sudanesa.

Mulheres muçulmanas não podem casar com homens cristãos sob a lei islâmica no Sudão.


Fonte: Portal G1

Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe Seu Comentário

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Anti Drogas

Vídeo Previsão do Tempo

Recados

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página