» » » » Abuso de álcool aumenta risco de sofrer assalto e estupro, diz estudo


Pesquisa mostra que abuso de álcool aumenta
risco de violência (Foto: Luísa Gomes/G1)
O consumo de álcool faz com que o indivíduo fique mais propenso a praticar atos de violência e também o torna mais vulnerável a comportamentos violentos praticados por outras pessoas, segundo pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Os dados levantados indicam que quem bebe tem maior probabilidade de se envolver em brigas com agressão física, de andar armado e de ter ficha na polícia. Ao mesmo tempo, o abuso da bebida também aumenta o risco de as pessoas sofrerem assalto e estupro.

As informações fazem parte do 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), pesquisa feita pela Unifesp que divulgou, nesta sexta-feira (16), os dados relativos à violência urbana e ao uso de álcool no Brasil. Os dados foram apresentados no Seminário Internacional “Álcool e violência: a influência da indústria do álcool”, realizado pela Associação Paulista Para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) em São Paulo.

Para o levantamento, foram entrevistados 4.607 participantes com 14 anos ou mais de 149 municípios brasileiros em 2012.

“Existe uma associação muito grande entre álcool e violência tanto no caso dos agressores quanto no caso das vítimas”, diz a pesquisadora Clarice Madruga, uma das autoras do levantamento. De acordo com o estudo, quem abusa do álcool tem duas vezes mais risco de ser assaltado. “A intoxicação alcoólica faz com que a pessoa se exponha mais, tenha um comportamento de risco, não evite lugares em função da segurança.”

Entre as mulheres que consomem álcool em excesso, há um risco 3,6 vezes maior de estupro. A pesquisadora enfatiza que isso não significa que haja responsabilidade da vítima em relação ao estupro. O que os dados mostram, segundo Clarice, é que se a pessoa beber moderadamente, sem excessos, ela pode diminuir sua vulnerabilidade em relação a esse tipo de violência.


 
Agressores alcoolizados
Segundo a pesquisa, em 50% dos casos de violência entre parceiros, o agressor estava sob o efeito de álcool. Do total de entrevistados, 6% afirmaram ter sido vítimas de violência doméstica.

Entre os participantes, 21,7% relataram ter sofrido algum tipo de violência durante a infância. Dentro desse grupo, 20% dos casos foram praticados por agressores que estavam sob o efeito de álcool. Além disso, 33,6% dos bebedores afirmaram já ter batido alguém enquanto estavam embriagados.

O envolvimento em brigas também é maior entre os bebedores problemáticos. Se, entre os homens com menos de 30 anos, 6% afirmam já ter se envolvido em brigas com agressão física, entre os homens da mesma idade que apresentam problemas com álcool, 27% relatam esse tipo de envolvimento.

Os homens que consomem álcool também andam armados com maior frequência. Se essa parcela é de 5% entre os homens em geral, ela sobe para 9% entre os homens bebedores.

O estudo também constatou que, entre os usuários problemáticos de álcool, a parcela dos que têm ficha na polícia é de 5,7%, porcentagem maior do que o observado na população em geral, em que 1,4% das pessoas são fichadas.



Fonte: Portal G1

Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe Seu Comentário

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Anti Drogas

Vídeo Previsão do Tempo

Recados

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página