Rádio Fonte de Água Viva - Topo

Site da PM-RJ é invadido, com vídeo convocando para ato de professores

Vídeo em site da PM convoca para protesto em outubro (Foto: Reprodução/ Site Pmerj)


O site da Polícia Militar do Rio foi invadido por hackers na noite desta segunda-feira (14). Na página, um vídeo, assinado pelo grupo Anonymous, convocava a população para o "Manifesto Nacional em favor da Educação", um grande protesto previsto para esta terça (15), Dia do Professor.

O grupo Anonymous assumiu a autoria da invasão através de sua conta no Twitter. A PM informou que retirou o site de funcionamento devido à invasão. Até as 22h, a página continuava fora do ar.

O vídeo exibia imagens de protestos no Rio e confrontos com a PM. A duração era de dois minutos e dez segundos. “Está na hora de voltar às ruas”, dizia um texto.

Jovens de SP divulgaram dados de PMs
Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) identificaram três menores de São Paulo como autores da invasão ao site da Polícia Militar do Rio de Janeiro e divulgação de dados pessoais de aproximadamente 47 mil PMs do estado no início de setembro. Os jovens, todos de 16 anos, foram ouvidos por agentes da especializada na capital paulista e autuados pelo crime de “invasão a dispositivo informático alheio”. Eles foram liberados e entregues aos responsáveis. Os computadores do grupo foram apreendidos e levados para o Rio, onde serão periciados.

Segundo o delegado titular da DRCI, Gilson Perdigão, o trio só se conhecia pela internet e alega ser contra a ação da PM durante manifestações. Dois deles moram em São Paulo, um deles no Grajaú, na Zona Sul, e o outro na Vila Aliança, Zona Leste. O terceiro reside na cidade de Assis, vizinha à capital paulista. Dois deles são administradores da página “Anoncyber & Cyb3rgh0sts” no Facebook, onde o link com os dados dos PMs foi postado no dia 12.

De acordo com a polícia, o jovem da Vila Aliança foi responsável pela invasão ao site da PM e divulgação de dados. Ele atuou através da criação de um programa, hospedado na Nova Zelândia, para dificultar a localização na internet. Ele teria utilizado a mesma ferramenta, mas não divulgou informações sobre policiais. O jovem de Assis tentou invadir a página a Polícia Militar, mas não obteve sucesso.


Fonte: Portal G1

Postar um comentário

0 Comentários