» » » » ONG de Saquarema, RJ, abriga cachorros e vira sensação na cidade

São 300 cachorros de idades e raças variadas que convivem em harmonia (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
São 300 cachorros de idades e raças variadas que convivem em harmonia
(Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
A triste realidade dos cachorros abandonados em Saquarema, no interior do Rio de Janeiro,  fez com que a advogada Isabel Ruliere, de 52 anos, tomasse uma decisão que mudaria a sua vida. Ela começou a recolher os cachorros e depois decidiu criar uma ONG. E já são 13 anos de dedicação a ''S.O.S Cãopanheiros'', localizada no bairro Boqueirão.

"Eu não moro aqui na cidade, mas tenho casa aqui há 27 anos e frequento o município desde então. Daí eu notei que tinham muitos animais abandonados pelas ruas e comecei a acolher um por um. Quando vi que eu já estava com 17 cachorros em casa, decidí abrir a ONG e divulguei o trabalho entre os moradores para ter ajuda", relembrou Isabel.


Cães saem juntos para passear pelas ruas do bairro (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
Cães saem juntos para passear pelas ruas do bairro (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)














Hoje, o exercício da advocacia se limita aos casos da própria família. Atendimento mesmo, só ao público canino. Atualmente, a ONG abriga animais de diversas raças e idade e todos convivem em perfeita harmonia, segundo a proprietária. Dar conta de tantos cães é uma tarefa 'osso duro de roer', mas Isabel já conseguiu castrar todos os animais.

''Levamos dois dias pra dar banho, levamos todos eles juntos para correr pela rua e ainda mantemos a higiene do local. Tudo isso com a ajuda de voluntários, além dos três funcionários", explicou a advogada.


Os animais precisam de ajuda

Muito além da diversão, apesar de todo o trabalho, Isabel Ruliere conta com o apoio da Prefeitura de Saquarema com a doação de uma verba destinada para a compra de medicamentos e ração, além da doação de alguns sócios, mas é preciso mais.

Os mascotes da ONG (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
Os mascotes da ONG
(Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
"O consumo diário de ração é de 125 quilos, tenho que pagar os funcionários, comprar remédios, levar os animais nos veterinários e pagar impostos. Por mês, eu tenho um gasto de cerca de 14 mil reais, isso porque eu também tiro dinheiro do meu bolso e conto com ajuda".

Com a grande quantidade de cachorros na casa (300), Isabel não tem condições de buscar nenhum animal pelas ruas, e aceita apenas aqueles que estão com a saúde debilitada.
"Não posso mais procurar nenhum cãozinho, mas também não recuso quando aparece algum que esteja muito doente, que foi atropelado etc. Não posso abandoná-los", disse.

Apesar das dificuldades, a ONG é um sucesso na cidade, de acordo com a fundadora. E, assim como as portas não se fecham para a chegada de mais um cachorro, elas também estão abertas para a visitação do público. Quem quiser contribuir com algum valor, basta entrar em contato pelo site da organização e retribuir o carinho que o ''melhor amigo do homem'' está sempre pronto para oferecer.

Isabel exibe os cachorros com deficiência física, porém saudáveis (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)
Isabel exibe os cachorros com deficiência física, porém saudáveis (Foto: Isabel Ruliere / Arquivo pessoal)



 Fonte: Portal G1

Sobre Nós

A Associação Fonte de Água Viva trabalha na construção de um mundo melhor. Através dos meios de comunicação levamos o amor a paz até os corações nos quatro cantos do Brasil e do mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe Seu Comentário

Deixe seu comentário, lembrando que este deverá ser aprovado para ser publicado no site.
Não serão aceitos comentários com spam, propagandas, palavrões e etc.

Anti Drogas

Vídeo Previsão do Tempo

Recados

Agenda: Shows e Eventos

Curta Nossa Página